.


Sou Designer Gráfico e Arte Finalista buscando melhoria na qualidade de vida das pessoas.
Aqui vocês encontrarão posts sobre tecnologia e um pouco dos meus trabalhos.

Sejam bem-vindos!
Fiquem à vontade para deixar críticas e sugestões!

Não deixe de:
Ler: O Segredo do Sucesso |

MEUS TRABALHOS

MINI LASER (MDB-6040)
 
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
As máquinas Mini Laser apresentam design inovador e adotam sistema de controle DSP para assegurar um resultado de corte e de gravação perfeito. Equipadas com guia linear de alta qualidade e sistema de reflexão de laser, podem ser operada de forma online ou off-line com USB. O cliente pode definir a gravação da máquina com uso de software próprio ou através de Corel Draw ou ainda AutoCAD. Com interface USB, mesmo sem computador, somente pen drive, a máquina lê o arquivo e opera.
 
APLICAÇÕES NA INDÚSTRIA
Indústria de moldes (construção de moldes, moldes de navegação e aviação, moldes de madeira), propaganda, decoração, artes, eletrônicos, aplicações elétricas, etc.
 
MATERIAIS APLICÁVEIS
Acrílico, placas de madeira, MDF, Plywood, quadros bicolores, papéis, couro, conchas, casca de coco, chifre de boi, resinas animais, lâmpadas, etc.
 
PARÂMETROS TÉCNICOS
Modelo: MDB-6040Área de trabalho: 600x400mm 
Potência do laser: 60W Tipo do laser: Co2 - 10.6um Tipo de resfriamento: água Velocidade de gravação: 0-1000mm/s 
Velocidade de corte: 0-1000mm/s Controle de operação do laser: 0-100% ajustado pelo software 
Tamanho mínimo de letra que pode ser gravado: 1.0mm*1.0mm Precisão do scanning: 100-1000DPI
Precisão da localização: <=+-0.01mm Software de controle: DSP control system 
Formato de gráfico suportado: DST PLT BMP DXF DWG AI LAS etc.
Softwares compatíveis: coreldraw, photoshop, autocad, etc. Separação de cor: sim
Sistema de direção: alta precisão com motor 3 fasesEquipamentos auxiliares: ventilador exaustor e tubo de ar para escape

 

PLOTTER EPSON

Plotter sublimática Epson® Stylus Pro 9700

A plotter sublimática Epson® Stylus Pro 9700 (110 cm) incorpora as últimas conquistas na impressão de alta performance de jato de tinta. A extrema precisão da cabeça de impressão MicroPiezo TFP e a tinta sublimática SUBLIMAX PERFORMANCE representam um nível de tecnologia de impressão sem precedentes dentro do mercado de sublimação.
Com a PRO 9700 você poderá imprimir arquivos de até 110cm (44") de largura. 
As principais atividades realizadas por clientes que possuem este modelo são: impressões de uniformes de futebol, abadás, camisas promocionais, bandeiras, bermudas (tipo surf), modas e etc.

PLOTTER ROLAND

Roland - SP 540i - Plotter Solvente com Recorte

Materiais Compativeis:

  • Lona Front Light - Painel de estrutura metálica no qual se prende uma lona com a propaganda impressa. A iluminação da arte é externa e frontal. Os tamanhos padrão são 6x3m e 3,5x5,5m, mas outros formatos também são utilizados.
  • Lona Back Light - Painel de estrutura metálica no qual se prende uma lona translúcida com a propaganda impressa. A iluminação vem por dentro da estrutura, por trás da lona. 
  • Vinil Adesivo (Gloss & Matte) - Os adesivos de vinil, ou adesivos vinilicos, são feitos de uma manta acrílica autocolante, em várias cores e modelos, e que podem ser aplicados em praticamente todo tipo de superfície. Eles podem ser encontrados em cores únicas, como amarelo, vermelho, verde ou azul, como também em formato de imagens variadas, algumas até que podem ser feitas sob medida em gráficas especializadas. Adesivo Vinil 0,08 e 0,10  
  • Tecido Poliéster (com tratamento) - Tecido poliéster para impressão digital com alta qualidade na resolução de imagem, com trama 150x150 translúcido, acabamento semi-brilho recomendado para faixas e bandeiras.
  • Tecido Algodão (com tratamento) - Algodão tratado com resina sintética em base aquosa, acabamento tinto branco. Cobertura de resina que confere mais brilho e ótimo contraste de cores.
  • Tecido Canvas - 100% algodão, antimofo, resinado; 0,530mm; Aplicação: Painéis, reprodução de obras de arte e fotografias.
  • Papel Fotográfico -  Papel revestido com uma camada de produtos químicos fotossensíveis usado para a produção de impressões fotográficas. Com o advento da fotografia digital o termo passou a incluir genericamente outros tipos de papéis para impressão de imagens digitais, desprovidos, porém, de fotossensibilidade.
  • Papel Couché (com tratamento) - Semi-Brilho (acetinado) Para Impressoras Plotter Látex e Solvente, Superfície Lisa, Ideal Para Impressão de Outdoor , e Imagens Diversas de Baixa Resolução e Etc.
  • PVC - Semi-brilho de 0,30mm e 0,60mm.
  • Couro Sintético - Laminados sintético.
  • Transfers para Tecidos - metodo serigráfico

BANNERS

Nós chamamos de banner o material (geralmente vertical) com impressão digital em lona e varetas horizontais em cima e embaixo e cordão na parte de cima para pendurar. Eventualmente o banner poderá ser de plástico com recorte eletrônico em vinil.
Tamanhos desejados: 40x60cm - 60x90cm - 80x120cm - 120x180cm - 140x200cm

FAIXAS

Chamamos de faixa o material (geralmente horizontal) de plástico poliestileno fino (0,5 mm) com dizeres em recorte eletrônico em vinil adesivo.
São usadas ripas de madeira verticais nas extremidades para fixar.
A faixa geralmente tem 70 cm de altura e comprimento variando entre 1 m e 3 m, mas também podendo ser de outros tamanhos. Alguns tamanhos comuns: 100x70cm - 200x70cm - 200x100cm - 300x70cm - 300x100cm

ADESIVOS DECORATIVOS

Decore e embeleze seus interiores e exteriores com adesivos em vinil.

PAINÉIS

Lona perfurada no perímetro com ilhoses para fixação. Adesivada com impressão digital ou vinil em recorte eletrônico.

FACHADAS

Combine os diversos tipos de material e aplicação para montar sua fachada.

VITRINES

Divulgue suas promoções e produtos em suas vitrines. Recorte eletrônico em vinil, impressão digital, podendo ser em material perfurado.

O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO

 

1. Em impressos a medida utilizada é centímetros (cm) e não pixels, portanto uma arte em 500x500px não serve para impressão;

2. O padrão de cores utilizados é CMYK (Cyan, Magenta, Yellow e Black) e a tela do computador exibe RGB (Red, Green, Blue), portanto é necessário que para que se alcance a cor desejada, seja utilizada uma escala cromática como a da Pantone, que é um padrão universal de cores para impressão;

3. Existem muitos processos de impressão (ex: offset, flexografia e serigrafia), e é importante saber qual será o método adotado, pois isso impactará na finalização da sua arte;

4. Há diversos tipos de materiais em que se pode imprimir, portanto certifique-se em qual tipo de papel seu projeto será impresso, ou se utilizará algum outro tipo de material como plástico, tecido ou superfícies metálicas, pois isso também impacta na criação e finalização da arte;

5. Todas as imagens deverão estar em CMYK com resolução 300dpi, e devem ser tratadas à parte do programa onde você está criando a sua arte. Por exemplo: se você estiver fazendo um folder no Illustrator, você pode tratar as imagens no Photoshop e depois importá-las de volta para o Illustrator novamente;

6. Evite usar degradês, blends e sombras dentro do programa no qual você está finalizando o arquivo, pois são estruturas muito complexas e elevam o tamanho do arquivo, o tempo de renderização e o tempo de impressão. Dê preferência para a aplicação de qualquer efeito gráfico e filtros dentro do software de tratamento de imagem e aplique a imagem no arquivo final como um bitmap;

7. Em vetores, utilize a menor quantidade de pontos possíveis. Muitos pontos retardam o processamento do arquivo e pode causar erros;

8. Não utilize fios com espessura hairline, pois dependendo do tipo de impressão, ela pode ficar praticamente invisível. Utilize medidas de no mínimo 0,425pts ou 0,15mm;

9. Caso seu arquivo possua uma quinta matriz (ex: matriz da faca ou verniz), é imprescindível que você coloque marcas de registro no arquivo para que elas não fiquem desalinhadas;

10. Durante da criação da sua arte, organize todos os arquivos utilizados como imagens, fontes e textos em uma mesma pasta, junto ao arquivo final, pois eles também deverão ser enviados para a gráfica juntamente com o arquivo para impressão.

 

Olhando um outdoor de perto!

Você já viu uma folha de outdoor bem de perto?
Quem já viu notou que se usa uma lineatura com pontos de quase 1 cm.
É quase impossível se perceber as figuras pegando a folha na mão.

A lineatura é de aproximadamente 10 lpi.

Quem entende um pouco de gráfica sabe que a lineatura usada é aproximadamente metade da resolução das imagens. Por isso no seus trabalhos de panfletos, você envia o arquivo em 300 dpi e o fotolito é gerado com aproximadamente 150 lpi.

Agora convenhamos! Faz sentido mandar uma imagem com 300 dpi para fazer um outdoor com 10 lpi? O ideal seria 20 dpi.

Mas e se o outdoor vai ficar num muro na altura dos passantes, como fica?

Imagens grandes, clientes próximos!

Já neste caso, as pessoas estarão a menos de 1 metro da imagem.
Com isso, é necessário usar uma resolução maior e imprimir numa lineatura bem maior, tal qual um impresso gráfico tradicional.

É por isso que o bureau pede sempre a arte com  300 dpi. Não lhe é dada a informação de onde será colocada a impressão e a distância para visualização.

Daí eles pecam pelo excesso. E você que se vire para desenvolver a arte pesada e levar os arquivos para o bureaus.

Logo, a responsabilidade da resolução final, lineatura da impressão e demais detalhes recai sobre que faz a arte. Por isso, se você é o cliente, tenha sempre em mente de dar informações precisas para quem está desenvolvendo a arte.

Não está nem aí para o trabalho que vai dar? Já viu aquelas imagens escuras demais depois de impressas? Bem diferente a foto original? É que elas ficaram com uma resolução maior que a necessária. O resultado é que a arte vai ficando cada vez mais escura, perdendo parte dos detalhes.

Resolução ideal! Uma regrinha de três!

Já complicou! Regra de três! Matemática!

Eu sou designer e não matemático!

Bem, vou tentar resumir numa tabelinha para facilitar e dar a base para você aprender a fazer.

Digamos que uma folha A4 a uns 20 cm do seu olho com 300 dpi impresso em 150 lpi seja o ideal para você. Ou mesmo, já que estamos falando em plotagem, que a sua impressora de mesa trabalhe com 600 dpi e tenha uma resolução que você considera boa. Note que a resolução dela é o dobro da necessária no offset.

Essa regra de três serve para qualquer um dos casos. Neste caso vou trabalhar pela resolução de saída e não do original.

20 cm está para 600 dpi assim como 100 cm (1 metro) está para X. Perceba que é uma relação inversa, ou seja, a resolução deve diminuir com a distância.

Logo: resolução = ( 600 x 20 ) / 100 = 120

Fazendo uma tabela:

20 cm -> 600 dpi

1 m -> 120 dpi

2 m -> 60 dpi

5 m -> 24 dpi

10 m -> 12 dpi

20 m -> 6 dpi

Notou como funciona? Tudo depende da distancia que está o seu leitor.

Fique ligado nas diferenças:

Resolução da imagem
É a resolução da foto do seu original. Pelo texto você já viu que em geral usamos 300 dpi, mas que ela pode variar de acordo com o tipo de saída. Se for para offset de uma revista (20 cm do usuário) deve ter os 300 dpi. Se for impressa em Jato de tinta a lineatura cai para cerca de 75 dpi, ou seja, uma resolução de 150 dpi é o suficiente. Já notou que quando imprimimos uma prova jato de tinta coma imagem em 300 dpi ela fica mais escura que a impressão offset? É por causa disso! A resolução está maior que a necessária para o tipo de saída.

Resolução da saída
É a resolução do equipamento que faz a impressão do trabalho. Pode ser a jato de tinta, o plotter, o fotolito ou platesetter. Usualmente ela pode ser ajustada no equipamento até um determinado valor. Na impressora jato de tinta nós verificamos isto pela qualidade da imagem: rascunho, normal, qualidade, qualidade fotográfica. De nada adianta colocarmos uma imagem com resolução de 1000 dpi para garantir e o bureau imprimir em rascunho para baratear a impressão. Tenha em mente que mais que a resolução do seu original, este item se torna muito importante. Pagando-se mais por uma impressão de qualidade, se tem melhor qualidade de saída. A resolução da imagem deve estar de acordo com a resolução de saída. Veja a tabela completa de preços do seu fornecedor e pese a qualidade de saída com o custo de cada impressão. É o famoso custo x benefício.

Lineatura
A lineatura é mais observada nas saídas tradicionais de fotolito. Normalmente usa-se os padrões da máquina, previamente ajustados para cada resolução. Mas isto não é definitivo: O operador pode fazer ajustes de acordo com a necessidade do cliente. Por exemplo, no silk screem o operador faz ajustes para diminuir a lineatura para poder ter pontos grandes o suficiente para boa qualidade do processo. Olhe as estampas das camisas e visualize os pontos. O mesmo pode ser usado num plotter para imprimir um outdoor. Fazendo isto a imagem não fica escura pelo excesso de tinta. É isso mesmo! Excesso de tinta pode ser prejudicial para o trabalho final e no outdoor percebe-se isto!

E no fechamento?

resolução de entrada, de saída e lineatura

Parte da dúvida do leitor que falei no início do artigo era quanto ao fechamento do arquivo. O bureau pediu o arquivo em PDF/X-1a e ao fechar o arquivo com as definições padrões chegou-se a um imenso arquivo de 500 MB. Este fechamento foi desenvolvido originalmente para paginas a serem impressas em offset (tamanhos A4 ou A3). O padrão do corel é fechar os objetos em zip, baixa compactação, 300 dpi para as fotos.

No caso de quem trabalha com figuras grandes a serem vistas de longe, pode-se mexer nesta configuração. Minha sugestão é tentar colocar os originais com uma resolução menor, próxima a que defini na tabela acima e ao fechar colocar nas configurações do pdf na aba objetos, um fechamento em JPG com uns 40 de compressão. Não vi necessidade de mexer nos demais ajustes, mas pode-se diminuir um pouco as resoluções também.

Com isso o arquivo vai ficar bem mais leve e poderá ser enviado até pela internet como anexo de email.

Fica apenas o alerta: Em casos especiais em que a imagem é grande, mas fica extremamente próxima ao cliente, deve-se usar as resoluções maiores, e teremos problemas no envio dos arquivos… mas estes são casos especiais.

Nos demais casos, usar uma resolução da ordem de 100 dpi para um banner 60×90 cm ou uns 30 dpi para um outdoor trará excelentes resultados, desde que se escolha impressões com a qualidade que se deseje.

CONCLUSÃO

Em artes gráficas, não existem definições padrões. Não se pode olhar o trabalho como uma coisa única. Deve-se levar em conta todo o conjunto: quem vai ler, como vai ler, distância, idade do público (os velhinhos não leem letras pequenas, o jovem já lê), tempo de exposição (o sol desbota o impresso) e muitas outras variáveis.

Fazer boas definições é um trabalho que não pode ser negligenciado e creio eu que cabe ao vendedor, entender as necessidades do cliente e direcionar o trabalho do melhor modo possível. De que adianta vender o material na maior resolução possível, querendo agradar o cliente, e no fim, este achar o trabalho escuro demais?

 

 

 


_______________________________________________________________________________

Acompanhe todas as minhas DICAS.PROFESSOR.TIM

Envie apenas o seu endereço de e-mail e receba gratuitamente
direto no seu leitor de Feed/RSS.


Envie seu endereço de e-mail e Confirme!